Translate

sábado, 16 de agosto de 2014

Carnival glass Olho da Rainha

Uma das minhas primeiras aquisições em carnival glass foi um prato que já foi publicado neste link.
Na época, eu estava começando a estudar essas peças, não fazia a menor ideia que minha coleção cresceria tanto e que eu ficaria fascinado em buscar informações sobre cada peça comprada.

Hoje, depois de conhecer outros colecionadores,trocar informações e adquirir outras peças com o mesmo padrão de decoração, posso dizer que esse prato é um Olho da Rainha.

E é fácil descobrir o porquê desse nome:
Parece que a rainha olha diretamente para nós...

Minha coleção já conta com três peças Olho da Rainha em carnival glass.
Uma cumbuca com 11,5 cm de diâmetro por 4,0 cm de altura, a compoteira com 21,5 cm de diâmetro por 7,5 cm de altura, e o prato com com 19,5 cm de diâmetro por 3,5 cm de altura.



Além do olho, temos detalhes feitos em pontilhados e estrelas nas bases.



Duas rainhas nos olhando.

A rainha mãe:
E a rainha filha:

O grande mistério do Olho da Rainha é sobre o fabricante.

Inicialmente eu desconfiava que poderia ser uma produção da Esberard Rio, mas dois detalhes me fizeram desistir dessa desconfiança.

A primeira é de que a coloração da Olho da Rainha é totalmente diferente da coloração das peças da Esberard.
A Olho da Rainha é mais "queimada", como diria meu saudoso amigo Edward Freire.
Além disso, ela possui muitas partes translúcidas.

A segunda é que a Esberard produziu peças com o nome Esberard estampado, e nenhuma peça Olho da Rainha que se conhece possui essa marca.

Depois imaginei, acho que a melhor palavra seria delirei, que poderia ser produção argentina.

Mas se isso fosse real, muitas peças seriam encontradas na região sul do Brasil.
O que não acontece.
A maioria das peças Olho da Rainha são encontradas nos estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

E eis que surge mais uma pista.

Um conhecido, Álvaro Henrique, de Juiz de Fora, tem a informação de que as peças eram produzidas por uma fábrica de vidros do Rio de Janeiro chamada Guarani, ou talvez Guarany.

Ótimo! vamos tentar encontrar informações sobre a Guarani!

E eis que... NADA!

Nenhuma informação concreta.
Cheguei a vasculhar teses de mestrado em busca de qualquer pista, e a única coisa que obtive foram citações de uma fábrica de vidros que realmente existiu no Rio de Janeiro que possuía o nome Guarani e encerrou suas atividades na década de 1960.

Portanto, infelizmente vamos ficar com um dos padrões mais lindos da vidraria brasileira sem poder ser catalogado com o devido nome e origem.

Infelizmente esse é o nosso Brasil, um país sem memória...

Voltando às peças.

Possuo outras duas Olho da Rainha que não são carnival glass.

Uma verde no mesmo tamanho da compoteira.


E um prato azul com 25,0 cm de diâmetro.

São muitas rainhas.
Rainhas que parecem olhar e convidar para decifrarmos seus mistérios...

Nenhum comentário:

Postar um comentário