Translate

sábado, 17 de setembro de 2016

Carnival Glass, alguns padrões de decoração.

Quando eu criei o Do Tempo do Guaraná de Rolha a intenção era apenas a de deixar registrado, por motivos familiares, algumas peças antigas que eu havia adquirido ao longo dos anos.

Cinco anos se passaram, o motivo inicial não existe mais, me aventurei pelo mundo do carnival glass, acabei conhecendo pessoas no Brasil e em outros países que também apreciam antiguidades, criei um site para catalogar minhas peças, estudei e ainda procuro estudar o máximo que posso para cada vez tentar conhecer um pouco mais.

Ou seja, aqui estou eu, feliz, comemorando mais um aniversário do blog!

E para essa comemoração ficar completa, vou falar um pouco sobre alguns padrões usados na decoração de vidro moldado, e claro que para ilustrar, nada melhor do que peças Carnival Glass.

Resolvi usar apenas Carnival Glass americano, pois acho que a criatividade americana usada em alguns padrões é inquestionável.

Vamos começar com as flores, afinal de contas flores sempre enfeitaram muito bem qualquer peça de decoração.

Um centro de mesa em forma de tigela com padrão conhecido por Open Rose e produzido pela Imperial.



Não só rosas abertas fazem parte do padrão, mas também alguns botões prestes a abrirem.


Flores também aparecem na parte externa da peça.


E que tal usar flores com alguma paisagem ao fundo?
É o que acontece com o padrão Chrysanthemum, da Fenton.



Em primeiro plano crisântemos, claro.


Ao fundo, um cenário que pode ser uma lagoa ou um pedaço de mar.
Para completar o cenário, um moinho de vento, coníferas, dois veleiros, uma construção que parece ser uma pequena igreja e pequenas nuvens no céu.


Três pés-bola apoiam a peça.


No padrão Double Dutch, da Imperial, não temos flores, apenas um bucólico cenário cheio de detalhes.



Dois moinhos de vento, árvores, cerca e um pescador em sua pequena canoa.




Na parte externa, uma faixa florida deixa a peça ainda mais bonita.



E porque não juntar as flores com algum animal mítico?
É isso que a Fenton fez no padrão Dragon and Lotus.



Como o próprio nome diz, dragões e flores de lótus se alternam para decorar a peça.


No centro,  flores e penas de pavão.


Base circular, cor lilás.


Horse Medallion é um outro padrão da Fenton que usa animais na decoração.



Cinco medalhões de cavalos..


Cor lilás, três pés-bola e parte externa facetada em pétalas.



Claro que não podiam faltar as frutas.
E entre cerejas, maçãs e morangos, talvez a fruta mais usada tenha sido a uva.
É o caso do padrão Grapes and Cable da Northwood.



A Fenton também produziu o Grapes and Cable, e para saber a qual empresa os cachos de uva pertencem, basta contar a quantidade de uvas na primeira fileira.

No padrão da Northwood a fileira possui cinco uvas, enquanto no da Fenton a fileira possui apenas quatro.


Parte externa plissada, cor verde.


Já que estamos falando de uvas, vamos juntar uvas e pavões no padrão Peacock and Grape da Fenton.



Oito pétalas com pavões e cachos de uva se alternando.


O pé é conhecido como "pé espátula".


São padrões para todos os gostos!

E é por isso que colecionar Carnival Glass é algo interessante e estimulante.
Além da beleza das peças, é possível  escolher entre cores, formatos, origem, decoração, etc.

Essa foi a publicação para comemorar o aniversário do Do Tempo do Guaraná de Rolha!
Além da publicação, temos uma pequena mudança no layout do blog, afinal, depois de 5 anos, algumas mudanças são sempre bem vindas.

Abraços para todos, e até o próximo mês!

domingo, 7 de agosto de 2016

Centro de mesa / Floreira - Weiss

A publicação de hoje é uma brincadeira de adivinhação com os leitores do Do Tempo do Guaraná de Rolha!


Existe um motivo para eu ter escolhido esta peça para ser mostrada neste mês de agosto.
E a foto acima, apesar de não mostrar os detalhes da peça, fornece uma bela dica da resposta.

Vamos ver se vocês conseguem descobrir qual a ligação que eu quero fazer?

A peça pode ser usada como um centro de mesa, uma floreira ou até como uma fruteira.


São 38,0 cm de comprimento, 16,0 cm de largura e 17,0 cm de altura.
Uma peça grande!
O que não é de se estranhar, uma vez que é um Weiss.

Uma peça totalmente assimétrica, uso de muitas linhas curvas que, como já falei anteriormente em outra publicação, lembram as curvas da arquitetura de Oscar Niemeyer. Talvez uma influência no design da Weiss no final da década de 1950, início da década de 1960.


Também temos o fato da Weiss ter usado formatos e decoração étnica em algumas produções.
Esse centro de mesa nos lembra uma peça oriental, laqueada, com motivos florais.

As flores são espíritos santos.
Um espírito santo em cada uma das pontas da peça.



As folhas estão pintadas no exterior e também no interior.


E no fundo da peça, a marca Weiss juntamente com sua famosa numeração.



Então, Conseguiram descobrir o porquê da publicação de hoje ser esse centro de mesa com um formato tão inusitado?

Aqui vai mais uma foto na posição que é a dica da resposta:


?

?

?

?

Pois bem, acertou quem disse que o motivo são as Olimpíadas 2016 do Rio de Janeiro!


Tenho esse centro de mesa já há muito tempo, e quando divulgaram, há alguns anos, o símbolo das Olimpíadas do Rio de janeiro pensei comigo, "Ë o meu centro de mesa Weiss!!".

Vocês podem imaginar quanto tempo faz que essa publicação estava na minha cabeça, prontinha para ser lançada aqui no blog!

Enfim, chegou o dia!

E com ele, a esperança de que esses Jogos Olímpicos possam deixar para o Brasil não só uma nova infra-estrutura para a cidade do Rio de Janeiro com arenas, linha de metrô, boulevard, etc., mas também, que deixem uma nova consciência de respeito ao próximo, respeito ao ambiente em que vivemos/trabalhamos, cidadania, comprometimento com o futuro e um pouco mais de educação (sim, no sentido de gentileza!) para todos nós brasileiros.

Coisas simples mas que muitos de nós esquecemos que existem...

O próximo mês é mês de aniversário, e a publicação será especial!

Não percam!

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Rosarinho - Esberard Rio

Sim! O padrão Rosarinho foi produzido, no Brasil, Pela Esberard Rio!

A confirmação está nessa tigela cor vinho.


Eis a marca Esberard gravada no interior:


Em maio eu já havia mostrado aqui no blog um prato Carnival Glass Rosarinho onde eu fazia uma comparação com o catálogo da Vallérysthal & Porieux.

E aqui estão as duas peças juntas.



Pena que a tigela, mesmo com uma cor linda, não seja Carnival Glass...

Faria um par perfeito com o prato...


sexta-feira, 8 de julho de 2016

Vallérysthal & Portieux, Marinha Grande e Radeberg. Inspirações para Carnival Glass do Brasil

Uma atualização foi feita na publicação onde eu fazia uma comparação entre peças produzidas no Brasil com catálogos da Vallérysthal & Portieux.

Novas descobertas foram feitas por Glen e Stephen Thistlewood.

Não deixe de ler! Vale a pena!

Para acessar a publicação, basta clicar aqui!

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Aparelho de jantar Weiss - Folha de couve

Na semana passada eu andei vendo as novidades publicadas nos blogs que eu acompanho, e acabei tendo uma surpresa muito boa ao ver meu blog mencionado pela Maria Paula em seu blog As Coisas De Que Eu Gosto, blog muito interessante que vale uma visita, principalmente para que gosta da louça fabricada lá do outro lado do Atlântico, em Portugal.

Foi então que eu me dei conta que fazia tempo que eu não publicava nada sobre louça.

E aconteceu que acabei me entusiasmando e resolvi publicar um aparelho de jantar manufaturado pela Weiss.

Já publiquei alguns aparelhos que quem não viu, vale a pena dar uma olhada; Schimdt / Rio do TestoSteatitaPolovi / Germer e um para servir peixe e frutos do mar da Inter American.

E agora, chegou a hora do meu "Folha de Couve" da Weiss, onde sei que alguns irão torcer o nariz, mas acreditem é um jogo bem diferente e que chama a atenção, inclusive já cheguei a ver peças Folha de Couve serem usadas em programas culinários, portanto, um jogo que está na moda!

Não comprei esse aparelho de uma única vez.
Fui juntando as peças aos poucos.
Alguns pratos de um vendedor, outros de outro vendedor, a molheira de outro, e assim por diante.
Mas acabei formando um jogo completo.

Por serem muitas peças, optei por mostrar somente algumas nas fotos de abertura:



São doze pratos fundos com 23,5 cm de diâmetro; doze pratos rasos com 25,0 cm de diâmetro 12 pratos de sobremesa com 20,0 cm de diâmetro.



Quatro travessas sendo que a menor tem 25,5 cm por 17,0 cm, e a maior (pasmem), possui 50,0 cm por 30,5 cm!

A pessoa de quem comprei essa travessa grande dizia que era uma "travessa de banquete"!

Desconfio que exista uma quinta travessa que encaixa entre as duas maiores das fotos.
Mas não cheguei a procura-la.
Creio que quatro já sejam suficientes!



Também tenho a saladeira com 29,0 cm de diâmetro.



Duas peças charmosas, uma farinheira e uma molheira, ambas com seus respectivos pratinhos de apoio.






E a mais imponente de todas, a sopeira que possui capacidade para quase 2,5 litros!



O charme da sopeira fica por conta da colher/concha!
Peça muito difícil de encontrar em um jogo Folha de Couve, visto a facilidade de quebrá-la.



A sopeira possui, com a tampa, 20,0 cm de altura por 27,0 cm de diâmetro, já o prato de apoio possui 34,5 cm de diâmetro.

São peças grandes!


Faiança produzida pela Weiss na época em que ela já apresentava dificuldades, e é perceptível ao tato que a qualidade da faiança não é das melhores.

Portanto são peças frágeis que devem ser manuseadas com um pouco mais de cuidado.


Aqui em casa, gostamos de usá-las principalmente para servir aquela bela feijoada com couve refogadinha e uma farofinha bem crocante e apimentada!


Faz sucesso!

Um grande abraço para todos, até a próxima!